BLOGGER TEMPLATES - TWITTER BACKGROUNDS »

1º PRÊMIO RECEBIDO DO VEJABLOG - MELHORES BLOGS DO BRASIL

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil BLOG ESIOPOETA

SEGUIDORES

ACESSOS

contador de acesso

ROMARIA PIRAPORA 2013 - ESIOPOETA E AMIGOS

CLIQUE PARA LER O NOVO LIVRO DE SONETOS DE ESIOPOETA- CONTEMPLAÇÃO

COQUETEL DE LANÇAMENTO DO LIVRO DE SONETOS APRENDIZ DA PALAVRA DO POETA ESIO

RECEBA ATUALIZAÇÕES NO SEU E-MAIL

Entre com seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

5 de abril de 2010

TEMPO DE COLHEITA





Tempo de Colheita

É tempo de colheita. Na lavoura
O sol com raios de esplendores doura,
Os cachos de arrozais, de trigo e milho.
As aves antecipam a colheita!
Os velhos espantalhos em espreita
Olham os campos com lascívia e brilho.

Bandos de multicoloridas aves
Aterrissam de formas mais suaves
Nas hastes pelos frutos já pendidas.
Cantam em sol-maior divinas árias,
Refletem em chuviscos cores várias
Enchendo de mil cores nossas vidas.

O lavrador busca de forma nua,
No calendário olhar fases da lua
Para a colheita ter o seu início.
Tudo foi preparado com ternura,
Desde a terra adubada à semeadura
E o tempo – com a chuva, foi propício.

Arde o sol na manhã de certo dia,
E a terra, imersa em transe de alquimia.
O adubo transformou em vivas cores.
O verde coloriu-se na florada,
Que com ternura foi polinizada
Por abelhas febris em seus ardores.

Eu, Poeta, me faço de colono,
E estes campos imensos são meu trono
Onde plantei em versos as sementes.
E os versos hoje em frutos transformados
Deixam os meus caminhos encantados
E meus carinhos deixam recendentes!

Por isso armo meus olhos à colheita,
Cada fruta madura é-me perfeita
E feliz eu oferto-a a quem precisa.
É a fruta da União e da Aliança,
Têm em seu sumo as cores da Esperança
E da paz mais sonhada e mais concisa.

Assim encho de frutos meus balaios,
E fazendo os meus anos sempre maios,
Distribuo calor a quem tem frio.
Frutos de rimas para quem tem fome,
De cada estrofe rica teço um nome
E ponho amor num coração vazio.

Faço a colheita com ternura e afeto,
Rendo graças ao Mágico Arquiteto
Que um dia deu-me o Verso a esta lavoura.
Sendo Poeta o compromisso teço
E é com bênçãos de luz que eu ofereço
Cada poema que em meu peito doura.

Se, sou eu o colono destes campos,
Lanço sementes como pirilampos
Que acendem suas luzes da lanterna.
Por isso a vida é bela, pura e linda,
Da paz beneditina, excelsa e infinda,
Esta jornada sinto ser eterna.

E o Poeta na sua juventude,
Tem o dom de espalhar sonho e virtude
Em todas as estradas dos caminhos.
Ele assim canta desde a tenra aurora,
Sabe o lugar onde a esperança flora
E sente o canto rebentar nos ninhos.

Cada fruto é uma luz em claridade
Onde a semente da Fraternidade
Pulsa, vibra, delira, explode, sonha.
Do arco-íris ele tem as sete cores,
Lembram caleidoscópios onde as flores
Deixam a nossa vida mais risonha.

Assim oferto frutos – são meus versos,
Neles os meus amores vão imersos
Na esperança de ver florir a vida.
Canto e se canto é para que meu canto
Seja a revelação de todo o encanto
Que pode haver na estrada a ser seguida.

Espero assim em cada estrofe feita
Esteja preparada a ser colheita
E possa rebentar em doce riso.
Pois se canto em terrenos adubados,
Por certo foram eles preparados
Pelas Musas que estão no Paraíso!

14.03.2002



Esio Antonio Pezzato

Gostou? clica abaixo em COMENTÁRIOS e deixe seu recado!

0 COMENTE AQUI:

Minha Ana Maria e Sissi

Apresentação Poema "O Evangelho Segundo Judas Ish-Kiriot" Loja Maçônica Acácia Barbarense

ARQUIVO

PESQUISAR ESTE BLOG

..