BLOGGER TEMPLATES - TWITTER BACKGROUNDS »

1º PRÊMIO RECEBIDO DO VEJABLOG - MELHORES BLOGS DO BRASIL

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil BLOG ESIOPOETA

SEGUIDORES

ACESSOS

contador de acesso

ROMARIA PIRAPORA 2013 - ESIOPOETA E AMIGOS

CLIQUE PARA LER O NOVO LIVRO DE SONETOS DE ESIOPOETA- CONTEMPLAÇÃO

COQUETEL DE LANÇAMENTO DO LIVRO DE SONETOS APRENDIZ DA PALAVRA DO POETA ESIO

RECEBA ATUALIZAÇÕES NO SEU E-MAIL

Entre com seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

22 de julho de 2010

MARINHA




Marinha

É noite de lua cheia –
Sozinho piso na areia
Do mar que lento, desliza...
Aspiro o ar da madrugada
Que veio sem dizer nada
Na suave essência da brisa...

Estou sozinho... o amplo espaço
É das estrelas regaço
Feito de tule e cetim.
Vai uma onda... vem outra onda...
O céu – brilhante Golconda! –
Brilha mais perto de mim.

Nuvens refletem na praia...
– Lembram lençol de cambraia
De meus tempos de criança...
Sozinho, a felicidade
Tem um gosto de saudade
De uma remota lembrança...

O mar – gigantesco espelho –
(Eu também nele me espelho!)
Reflete estrelas sem par...
E fico a contar estrelas
Pois enquanto posso vê-las
Eu bem sei que posso amar.

Confundo, entre brilhos tantos,
Poemas, versos e cantos
Que possuo dentro d’alma.
Faz silêncio. O mar me anima:
– Engasto o meu verso à rima
Em odes plenas de calma.

Vejo navios ao longe...
– Lembram procissões de monge
Com contas cheias de luz.
Há no ar um cheiro de incenso...
O mar é sublime, imenso,
Distante – o porto reluz...

Penso em buscar outros mundos
Onde sonhos mais profundos
Povoem a minha vida...
Quero amor e quero glória...
Quero fechar minha história
Numa concha colorida...

Mas na linha do horizonte
A vista faz uma ponte
E não consegue atracar...
Percebo que estou sozinho
E solitário caminho
Buscando alguém para amar.

Ouço vozes estrangeiras...
Desconhecidas bandeiras
Tremulam no céu aberto.
Avisto homens tatuados,
Corpos brilhantes, bronzeados,
Passam por mim, muito perto.

Para mim, que, penso absorto,
Olhando as luzes do porto
Nesta enorme solidão:
Tantas vozes diferentes,
Fariam eles contentes
Ouvindo minha canção?

Entenderiam meus versos;
Se ouvissem cantos diversos
Parariam o trabalho?
Ah, minha rima vadia
Somente em minha poesia
Consegue ter agasalho!...

Vou partir... sem esperanças –
Oh! Mar! Impávido lanças
Sem ouvir minha canção.
No silêncio me recolho
Com ferro faço um ferrolho
E prendo o meu coração...

25.08.1991


Esio Antonio Pezzato

0 COMENTE AQUI:

Minha Ana Maria e Sissi

Apresentação Poema "O Evangelho Segundo Judas Ish-Kiriot" Loja Maçônica Acácia Barbarense

ARQUIVO

PESQUISAR ESTE BLOG

..