BLOGGER TEMPLATES - TWITTER BACKGROUNDS »

1º PRÊMIO RECEBIDO DO VEJABLOG - MELHORES BLOGS DO BRASIL

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil BLOG ESIOPOETA

SEGUIDORES

ACESSOS

contador de acesso

ROMARIA PIRAPORA 2013 - ESIOPOETA E AMIGOS

CLIQUE PARA LER O NOVO LIVRO DE SONETOS DE ESIOPOETA- CONTEMPLAÇÃO

COQUETEL DE LANÇAMENTO DO LIVRO DE SONETOS APRENDIZ DA PALAVRA DO POETA ESIO

RECEBA ATUALIZAÇÕES NO SEU E-MAIL

Entre com seu e-mail:

Delivered by FeedBurner

6 de janeiro de 2010

TREGÉDIA FAMILIAR - Parte II



E a Flor-de-Lis do casebre
Pós a reza, na hora H,
A todos oferecia
Suco de maracujá
E fatias saborosas,
Portanto, muito gostosas,
De um bom bolo de fubá.

Com certeza até a riqueza
Teria inveja dali.
Outra alegria tão grande
Em outras plagas não vi.
Por não ter nenhum perigo
Ali se sentia amigo
Colorido colibri.

E por se sentir de casa
Seu ninho ali construiu
Pois tinha flores de monte
Como nunca antes se viu.
Podia, pois, com fricotes,
Alimentar seus filhotes
Sem se espantar co’um psiu!

Mas um dia, ao fim da tarde,
Após duro trabalhar,
Retornando para casa
Tomé ouviu um guisar.
Com cuidado e bem atento
Mediu cada movimento
Cuidava em não se assustar.

Espantado olhou por tudo
E oh! triste cena cruel:
Num canto jazia morta
Uma cabra cor de mel.
E ao analisar direito
Viu que ela tinha no peito
Mordida de cascavel.

Entrou no velho celeiro
E entre palhas procurou
A sibilante nefasta
Que sua cabra matou.
E na busca sem medida
Foi encontrá-la escondida
E com um pau a matou.

Mas onde existe uma cobra
Outras existem também
E Tomé Luís matando-a
Não procurou outras, nem
Ponderou que houvesse um ninho
Escondido no caminho
E cobras bem mais de cem.

E não querendo por susto
Nos filhos e na mulher
Foi enterrar sua cabra
Num distante belveder...
Disse apenas que a coitada
Morrera à tarde, afogada,
Quando foi água beber.

Noutro dia, logo cedo,
Levantou – foi trabalhar,
Com seu machado afiado
Muita lenha foi cortar.
O céu estava ainda escuro,
Porém, com passo seguro,
Ele se pôs a marchar.

Logo que o dia clareava
A uma clareira chegou,
À sombra pôs o corote
Sua marmita guardou.
O sol aos poucos ardia,
Enorme calor fazia,
Tomé Luís almoçou.

Mas voltemos ao casebre:
Flor-de-Lis já de manhã
Foi ao quarto de Rosinha
E acordou-a com afã,
Foi ao quarto dos meninos
E com seus modos traquinos
Chamou-os num rataplã!...

Rosinha toda contente
Levantou, tomou café,
E nos cabelos da mãe
Tentou fazer cafuné.
Mas estridente, o caçula,
Demonstrava imensa gula
E armou tremendo banzé!

Porém, que coisa engraçada,
Zezinho e Antoninho não
Caíram hoje da cama...
Flor-de-Lis com atenção
Então falou à Rosinha
Que fosse fazer cosquinha
Pois assim acordarão...

Porém, chegando no quarto,
Rosinha um grito soltou,
Uma cascavel imensa
Sobre ela um bote tentou.
Do quarto saiu chorando
À sua mãe foi chamando
E logo após desmaiou...

Flor-de-Lis bastante aflita
Pôs o pequeno no chão,
Deu água e açúcar à filha
E esta lhe falou então
Com sua voz assustada
Que uma cascavel danada
Tinha feito danação.

Tomando um grande porrete
Pra encarar a cascavel
Que dentro do quarto estava
Causando o maior revel –
E com uma tocha de fogo
As duas armaram jogo
Contra a serpente cruel.

Foi uma luta gigante...
A cobra pra não morrer
Dava botes lancinantes
E tentava se esconder...
Sacudia alto o seu guizo
Dando um tenebroso aviso
Que poderia vencer!...

Mas Flor-de-Lis e Rosinha
Com coragem sem igual
Conseguiram dar à morte
Ao peçonhento animal
Que ficou na hora exangue
Pela boca pondo sangue
Após luta triunfal!

Porém, Zezinho e Antoninho
Após luta tão cruel
Continuaram inertes...
É que a horrenda cascavel
– Filha da dor do pecado! –
À noite os tinha matado
Com seu veneno de fel.

Aos prantos, desesperada,
Chorou demais Flor-de-Lis...
Via os dois mortos na cama
E o coração da infeliz
Ficava desesperado
E a Deus lançava o seu brado;
Oh! Deus, o que foi que fiz?...


Esio Antonio Pezzato

Gostou? clica abaixo em COMENTÁRIOS e deixe seu recado!

0 COMENTE AQUI:

Minha Ana Maria e Sissi

Apresentação Poema "O Evangelho Segundo Judas Ish-Kiriot" Loja Maçônica Acácia Barbarense

ARQUIVO

PESQUISAR ESTE BLOG

..